CEDT - Centro de Excelência em Desmaterialicação de Transacções

O CEDT

Quem somos

O CEDT (Centro de Excelência em Desmaterialização de Transacções) é um centro de excelência que se figura numa Rede de competências constituída por empresas das Tecnologias da Informação e Comunicação, com competências líderes nacionais nos domínios da Desmaterialização de Transações, e por Universidades e Centros de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico.


Que fazemos

O CEDT tem como foco central a captação e o desenvolvimento de ideias e projetos em domínios TIC (de maior inovação e potencial de geração de Valor Acrescentado Bruto - VAB) junto das entidades do sistema científico e tecnológico e a articulação dessas ideias e projetos com o interesse e oportunidades de negócio das empresas, criando assim sinergias e estabelecendo a cooperação entre as partes envolvidas. Assim, o CEDT opera no desenvolvimento e na dinamização de uma rede de competências e de conhecimento em Desmaterialização de Transações, com abrangência nacional.

Procura como resultados o aumento da produtividade e da massa crítica empresarial, tornando o sector mais competitivo; o aumento da exportação de produtos e serviços TIC; o crescimento da presença e da imagem de Portugal Digital nos mercados externos, bem como, a atracão de investimento estruturante para Portugal.

Do plano de ação e estratégia do CEDT identificam-se quatro eixos fundamentais que definem o posicionamento das suas atividades:

  1. 1 Geração de IDI em Desmaterialização de Transações;
  2. 2 Oferta de conhecimento em Desmaterialização de Transações;
  1. 3 Criação de sinergias, networking e cooperação entre os elementos da Rede;
  2. 4 Consciencialização e parcerias.

 

Origem e desenvolvimento do CEDT

O CEDT nasceu enquanto ideia de projeto em Julho de 2006 no seio da iniciativa promovida pela COTEC Portugal designada Pólo de Software do Minho, no âmbito da criação de Pólos de Inovação identificados localmente que mereciam ser reforçados e dinamizados, neste caso, na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Esta ideia contou com a participação de seis empresas de software da região do Norte de Portugal, que se distinguem pelo seu forte potencial de crescimento e de inovação (Cachapuz, Enabler Wipro, MobiComp, Primavera BSS, WeDo Technologies e Wintouch), da Universidade do Minho e do INESC Porto.

Em Maio de 2008 o CEDT assumiu-se como uma entidade privada, sem fins lucrativos, operando no desenvolvimento e na dinamização de uma rede de competências e de conhecimento em Desmaterialização de Transações com abrangência nacional com a participação de empresas líderes em Desmaterialização de Transações e de entidades do Sistema Cientifico e Tecnológico Nacional.

Numa fase inicial o Centro de Excelência contou com a adesão, ao grupo fundador, de onze novos associados, líderes nacionais em vários domínios da Desmaterialização de Transações. Designadamente, a CreativeSystems, os CTT Correios de Portugal, a ISA, a Microfil, a PT Inovação, a QuiiQ, a SIBS, a Via Verde Portugal, a Softlimits, a Vortal e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Do modelo de governo e gestão do CEDT já fizeram parte figuras de referência nacional, tais como o Engenheiro António Murta, em representação da Enabler/Wipro, e o Professor Pedro Vilarinho, em representação da COTEC Portugal, que constituiram a Comissão Executiva de criação do CEDT. No período de autonomia do CEDT, no primeiro triénio a Direção foi Presidida pelo Engenheiro Jorge Braz, em representação da Wipro Portugal e, actualmente a Direção do CEDT é Presidida pelo Engenheiro Jorge Batista, em representação da Primavera BSS.